Histórico do Curso

“Emiliana, uma das fundadoras do Curso de Psicologia, em companhia (a partir da esquerda) da Gaspar Erich Stemmer (Reitor, 1976-80), Roldão Consoni (Vice-Reitor) e Volney da Silva Millis (Pró-Reitor), durante a cerimônia de inauguração do então Serviço de Atendimento Psicológico, em 1977”

A primeira iniciativa que deu origem ao Curso de Graduação em Psicologia da UFSC data de 31 de agosto de 1976, quando o então Reitor, Prof. Caspar Erich Stemmer designou sob a Portaria n. 894/76, os professores Emiliana Maria Simas Cardoso da Silva, Roberto Caetano Castiglia, Mara Coelho de Souza Lago e Vera Lúcia Rocha, sob a presidência da primeira, para constituírem Grupo de Trabalho encarregado de estudar a viabilidade de sua implantação. Esta tarefa incluía analisar o mercado de trabalho, as implicações financeiras e a necessidade de novos docentes, bem como apresentar sugestões sobre o currículo e o número de vagas a serem oferecidas.

Até aquele momento, não existiam cursos de Psicologia no Estado de Santa Catarina, e havia 15 psicólogos atuando no Estado. O Grupo de Trabalho apontou a necessidade da criação do curso, uma vez que existia carência dessa formação e se caracterizava um amplo e potencial campo de trabalho para a área da Psicologia, nas suas diferentes áreas de atuação.

O projeto de criação do Curso foi aprovado em âmbito institucional na UFSC pelo Conselho de Ensino e Pesquisa, através do Parecer n. 224/77, de 03 de maio de 1977, tendo como Relator o Prof. Sílvio Coelho dos Santos. Seu funcionamento foi autorizado quatro meses depois, pelo então Ministério da Educação e Cultura (MEC), por meio do Ofício n. 2269/77, de 19 de setembro de 1977.

A primeira turma, composta por 30 alunos, ingressou por aprovação em vestibular, em março de 1978. Em 10 de outubro deste mesmo ano, o Curso de Graduação em Psicologia foi oficializado na UFSC, através da Portaria n. 425/78, assinada pelo então Reitor, Professor Caspar Erich Stemmer, a qual aprovou o seu currículo, créditos, pré-requisitos e requisitos paralelos.

O reconhecimento do Curso de Psicologia foi concedido meses após a formatura da primeira turma (ao final de 1982), por meio do Parecer n. 498/83, de 06 de outubro de 1983 do Conselho Federal de Educação e da Portaria n. 451/83-MEC, publicada no Diário Oficial da União de 22 de novembro de 1983, nas habilitações Bacharelado, Licenciatura e Formação Psicólogo.

Desde então, o Curso vem funcionando com regularidade, com alterações internas na composição de disciplinas obrigatórias e optativas, visando atualizar o currículo pleno, tendo aumentado sua oferta de vagas paulatinamente de 30 para 35 por semestre, depois para 40, e, no primeiro semestre de 2009, uma última expansão, em conseqüência da adesão ao REUNI, para 45 vagas semestrais.

Ao longo de seus 31 anos de funcionamento, o Curso de Psicologia se consolidou como agência formadora de centenas de profissionais, os quais atuam não apenas no Estado, mas em nível nacional e internacional, nos diversos campos de intervenção psicológica.

A formação profissional ofertada é desenvolvida predominantemente por docentes integrantes do Departamento de Psicologia, em sua expressiva maioria doutores. Porém, conta-se também com a participação de docentes de áreas correlatas, cujos conhecimentos são fundamentais para a formação superior em Psicologia, como a Filosofia, a Antropologia, a Estatística, a Sociologia, as Ciências Biológicas e as Ciências da Educação.

Em seu modo de funcionamento busca-se uma estreita vinculação com os cursos de Mestrado e Doutorado em Psicologia e vários Laboratórios e Núcleos de atividades acadêmicas, que possibilita ao corpo discente a ampliação da formação oferecida. Essa formação ampliada se concretiza por meio do contato com as diferentes subáreas do conhecimento psicológico e suas interfaces, fundamentos teóricos e metodologias de intervenção profissional, resultando em preparo para a pesquisa, a extensão e a inserção no mundo do trabalho, consoante com as finalidades da educação de nível superior previstas na LDB (BRASIL, 2008).

A crescente familiarização da sociedade com a profissão de psicólogo, a consolidação de áreas consideradas emergentes na Psicologia e seus respectivos impactos na formação profissional dos psicólogos, a gradativa inclusão da disciplina de psicologia no ensino médio, o Projeto Pró-Saúde, que fortalece o vínculo da formação na universidade com a atenção básica em saúde, através do compromisso com as políticas públicas em saúde coletiva, a significativa inclusão da psicologia em outras políticas públicas erigidas pelas três esferas de Estado, a ampliação significativa de laboratórios e núcleos de pesquisa e intervenção, são alguns dos elementos que permitem traçar boas perspectivas para o Curso. Esses elementos legitimam a necessidade permanente de revisão e avaliação das atividades pedagógicas, uma vez que seus egressos continuam encontrando, ampliando e criando possibilidades de colocação profissional e, deste modo, construindo a prestação de serviços à sociedade.

Em 2010 implantaremos o novo projeto pedagógico do Curso de Psicologia, que representa a oportunidade de promover a melhoria da qualidade de formação profissional e favorecer a inovação pedagógica sem romper com a história da produção acadêmica desse Curso.

História Recente

Colegiado de Curso e Departamento de Psicologia aprovam o Novo Projeto Pedagógico de Curso.

Em reunião conjunta do Departamento de Psicologia com o Colegiado do Curso de Psicologia, em 31 de agosto de 2009, foi aprovado o novo Projeto Pedagógico do Curso, de modo que o novo Currículo está em implantação progressiva desde o primeiro semestre de 2010. Após longos anos de discussão, finalmente concretizou-se uma proposta, consolidada nesse documento final. São diversos os avanços que esse projeto pedagógico propõe para a Formação do Psicólogo na UFSC. Dentre eles, a presença das disciplinas de Pesquisa e Prática Orientada (PPO) que inserem o aluno em práticas profissionais desde os momentos iniciais do Curso e a maior flexibilidade curricular por meio das Ênfases Curriculares, cuja proposta espelha as áreas de pesquisa e extensão consolidadas no Departamento de Psicologia. Já com relação à Licenciatura em Psicologia, o grande salto qualitativo é sua efetiva integração à formação básica do psicólogo, articulada às disciplinas do Núcleo Comum através das Práticas como Componente Curricular (PCC). Nesse sentido, o novo Projeto Pedagógico do Curso de Psicologia da UFSC, além de cumprir todos os requisitos legais e institucionais, representa a possibilidade concreta de promover a melhoria da qualidade de formação profissional ofertada por esse Departamento, favorecendo a inovação pedagógica sem romper com a história da produção acadêmica desse Curso.